January 25, 2007

"Paris Je T'Aime" consegue ser um filme tão especial quanto a cidade que retrata. Num mosaico multicolorido e multicultural, gente como os irmãos Coen, Olivier Assayas, Gus Van Sant, Tom Tykwer, Gérard Depardieu, Walter Salles&Daniela Thomas, Isabel Coixet contam pequenas histórias (l'amour dans tous ses états) - algumas divertidas, algumas clichê, outras surreais, outras ainda simplesmente lindas. Todas faces de uma mesma Paris.

Gus Van Sant fica com o Marais e seus meninos lindos. Ethan e Joel Coen fazem Steve Buscemi apanhar no metrô nas Tuileries. Gurinder Chadha, como em seu "Bend it Like Beckham", aborda o amor transpondo as diferenças culturais. Bruno Podalydès em Montmartre bufa e estaciona como todo bom francês. Olivier Assayas mostra quem manda as drogas para Maggie Gyllenhaal no Quartier des Enfants Rouges. Isabel Coixet mostra o "tourbillon de la vie" na Bastille (e sem UM ator francês no elenco). Elijah Wood (jesus, he's everywhere!) encontra o amor gótico no quartier de la Madeleine. Nick Nolte e Ludivigne Sagnier passam a impressão errada em Parc Monceau (na verdade, um dos mais fraquinhos). Gena Rowlands e Ben Gazzarra dão um show no Quartier Latin. Walter Salles e Daniela Thomas se lembram dos que moram na banlieue. Wes Craven, muito apropriadamente, escolhe o Père Lachaise. E tantos outros...é um universo de verdade.

Mas é o último segmento, dirigido pelo Alexander Payne (de "Sideways"), que me tocou especialmente. Carol é uma norte-americana de meia-idade, sozinha e comum, que vai a Paris pela primeira vez. As suas reflexões e observações são cativantes e honestas, assim como seu esforço em falar o francês. Mas é a percepção do momento em que ela se dá conta de que "ama Paris e Paris a ama" que me pegou de jeito - porque comigo foi igual. Não é a visão da Torre Eiffel, não é passear de barco pelo Sena, não é ir ao Louvre. É se sentar sozinha por um instante, com o sol iluminando as pequenas cenas do cotidiano à sua frente, e se sentir só e parte do mundo ao mesmo tempo.

Assistam.

1 comment:

Muié said...

Comigo foi assim, também. Claro que teve torre Eiffel e o escambau, mas o momento que mais me marcou foi comer um sanduba sentada na graminha, no meio da Place des Vosges, ao lado de um chafariz, num dia de sol lindíssimo. (Snif...)