April 11, 2007

Aliás, adoro lugares escondidos e tranquilos. Se tem algo que me deixa completamente passada são aqueles mega-lugares com mega-divulgação e freqüência mega-chata. Eu tenho horrooooooooor a lugar com fila pra entrar, horroooooooooooor a carão, horroooooooooooooor de gente atrasada 30 anos que acha que música eletrônica é o auge do moderno, horroooooooooooor a "balada" (cringe, cringe - odeeeeio essa palavra. Só não é mais cafona que "tequinêra", até hoje o auge da breguice deslumbrada). Eu tenho horrooooooooooor de gente que fala que "adora balada gay" (aliás, tem coisa pior do que gente que usa essa distinção : balada gay, amigo gay? Eu não classifico meus amigos pela sexualidade ou whatever, como se fossem uma peculiaridade - são amigos, ponto. Tipo, não precisam de "sobrenome" ¬¬ . Ou seria aposto?) , horroooooooooooor de vitrine ambulante, de gente que se acha "muito louca" e fica gritando feito retardada, de homem que acha que você vai gostar se ele pegar no seu cabelo ou passar a mão na sua cintura, de gente que fala "festa rêivi".

Enfim, vocês nunca vão me ver na Vila Olímpia e arredores.

1 comment:

Cris said...

PQP, tu acabou de descrever 98% da night de PoA City. Num é a toa que virei cocooner aos 30 anos.