July 02, 2007

Mas falando de posters, não posso esquecer os do meu caríssimo Peter Sempel.

Esse alemão-cineasta-marqueteiro-punk entrou na minha vida há uns 10-12 anos, quando eu estagiava na Cultura e ele estava em SP a convite da Mostra. Nem lembro mais o que ele estava fazendo lá na TV (entrevista pro Metrópolis, talvez?) e muito menos por que a gente começou a conversar, mas ficamos amigos. E toda vez que ele voltava à cidade lá íamos nós nos embrenhando pelo centrão ou pela Vila Madalena. Ele gostava da Mercearia São Pedro (que ele chama de Pedro's Bar) porque era habitué lá junto com o Nick Cave no começo dos anos 90. A primeira vez em que fui com ele confundiram minha irmã e eu com as meninas do Cibo Matto (!!!), que pelo jeito tinham ido lá quando estavam no Brasil.

(¬¬ sabe aquela coisa de "japonês é tudo igual, né"?)

Outra vez, ele quis ir na Sé filmar pessoas. É. Um cara de dois metros de altura, com a MAIOR cara de gringo, carregando uma câmera de vídeo. Na Sé. Sozinho (tá, eu tava junto, mas que diferença faz?). E por incrível que pareça, não aconteceu nada. A gente encontrou dois garotos absolutamente chapados de crack, que estavam conversando com a gente e de repente deitaram no meio da praça, de barriga pra baixo. E lá ficaram, e deixaram o cara ficar filmando.

Numa outra madrugada, ele queria porque queria tomar caipirinha, e claro que tinha que ser no boteco mais tosco da Amaral Gurgel, bem na frente do Minhocão, quase na saída pra Consolação. Daí entrou uma trava já meio louca e desdentada pedindo cigarro e falando em francês. Quando ela descobriu que eu entendia, o rosto dela se iluminou e desandou a me contar da época em que ela morava em Paris, de como ela era feliz. Naquele momento, a insanidade despareceu e o que eu via ali era uma pessoa lúcida e nostálgica. E que devia levar uma vida extremamente triste. Ficamos conversando um tempo, ela se levantou, agradeceu o cigarro e se despediu. Até hoje lembro dela.

Enfim, esse papo todo é só pra explicar que os filmes do Peter podem não ser fáceis de assistir, mas são extremamente autênticos. E os posters são geniais. Nick Cave, Nina Hagen, Kazuo Ohno, Jonas Mekas, Lemmy e tantos outros. Quem frequentava o antigo Retrô deve lembrar do poster do "Dandy". Então, quem quiser um pedaço da história do rock 'n roll em casa, já sabe.

(momento propaganda gratuita, hahahaha)

3 comments:

xris said...

(¬¬ sabe aquela coisa de "japonês é tudo igual, né"?)

ô se sei!

Galaxy Of Emptiness said...

Ai, ai, e ainda tem coragem de dizer que só escreve bobagens no blog...tsc, tsc! Essa gente modesta...
Que história legal!!
Bjs!

annix said...

Vindo de quem vem, é um grande elogio! ;)