March 15, 2008

Passar o dia preparando festa-surpresa pro cara e ele dar o cano. Tentar negar pateticamente os sinais da idade. Reconhecer que ser responsável por alguém implica em não poder viver tudo que se quer. Ter de dizer que não é mais virgem. Sentir-se compreendida pelas amigas. Sentir-se incompreendida pelo mundo. Precisar encarar a rival, pra ver o que ela tem a mais que você. Ficar irritada com cantadas, mas se sentir envaidecida do mesmo jeito. Aceitar que sofrer é necessário. Acreditar quando ele diz que vai largar a esposa pra ficar com você. Saber como sair de situações complicadas apenas com um olhar. Ser levada ao céu ou ao inferno por um corte de cabelo. Esperar aquele telefonema que não vem.

Quem é que não sabe o que é pelo menos UMA das situações daí de cima? Em São Paulo ou Beirute, em Tóquio ou Paris, somos todas essa massa divina de complexidades e complexos. "Caramel", da maravilhosa Nadine Labaki, é feminino, humano e faz a gente sair do cinema se sentindo linda e orgulhosa por ser mulher - com todas as nossas vulnerabilidades e forças.

5 comments:

Cris A. said...

Vi um mais ou menos sobre o mesmo tema chamado Friends with Money. Legal, até; eu gosto da Joan Cusack (menos que o John, mas gosto :P).

Eu penso que... said...

Será que este filme vai passar por aqui?
Já me deu vontade de assistir!
:)

Galaxy Of Emptiness said...

Bu��a! Essas coisa me fazem chorar. Bruxelas j� t� precisando!

ale said...

Fiquei muito a fim de assistir. Vou esperar chegar no Brasil.

Beth Blue said...

Louca pra ver também...Mais um pra minha lista. Too many films too little time!!!