June 23, 2008

Apesar de ter achado a crítica do Guardian uma das coisas mais engraçadas dos últimos tempos (leiam!), tenho que dizer que gostei de "The Incredible Hulk". Elenco muitíssimo bom, sem exceções, efeitos legais (apesar de achar que as expressões do Hulk poderiam ter sido melhor construídas em CG - po, não usaram motion capture? então), história com todos os pontos principais preenchidos E menções por todo o filme que só confirmam um "Avengers" nas telas em breve (uau!).
Curti a aparição do Lou Ferrigno - e bem que me ocorreu que a voz do Hulk fosse ele mesmo - e as várias homenagens à série de TV.
Agora, como é que as poucas frases proferidas pelo Hulk são todas bem estruturadas ("Leave me alone"), e UMA vez ele solta um "Hulk...smash!"? :-\

E o tio Stan Lee, hein? Nem tem mais graça procurar, ele QUER ser visto. Bah. Mas ele merece, vai.

Mas kudos to Marvel, eles aprenderam o que o fã das HQ quer realmente ver na versão para o cinema, e sempre conseguem pelo menos UMA cena de arrepiar em todos os filmes. Pra mim, no caso, foi o punho do Hulk surgindo do asfalto. Foda.

E isso que o Hulk nem é dos meus personagens favoritos, mesmo. Mas algo que eu acho lindo é como ele é simbólico. Po, o cientista franguinho tem seu lado animalesco e irracional libertado, e toda sua luta se resume a tentar controlá-lo. Mas o monstro verde não perde a humanidade, porque mesmo sob efeito da mutação, continua reconhecendo a quem ama. Juro, acho isso lindo. Outros heróis da Marvel e da DC são solitários porque são outcasts, mas o Hulk tem a Betty, que reconhece o homem amado por baixo da aberração, e o aceita. Quer mais "Beauty and the Beast", mais amor vincit omnia que isso? Snif.

E eu quero um Edward Norton pra mim. Juro que cuido direitinho.

7 comments:

Gal said...

hahahaha Isso, isso e isso!
Mas eu também quero um Ed Norton pra mim.
;-)

Beijos e namarië.

Galaxy Of Emptiness said...

Po, no dia em que filmarem Mulher Maravilha, juro que amanheço na porta do cinema, mesmo que toda crítica diga que a "película" (adoro essa palavra, hehe) é uma merda! Já disseram que iam fazer com a Mischa Barton, com a Evangeline Lilly...e até agora nada!

Ah..contagem regressiva para Batman, hein! :)))

Galaxy Of Emptiness said...

Ah...fui ler a crítica do Guardian. Ahahahaa!
Morria de medo do Hulk quando criança. Eu me escondia atrás do sofá na hora da transformação. O pior pesadelo da minha vida foi sonhar que meu pai tinha virado Hulk dentro do box do banheiro, hehe. Passei uma semana fugindo do meu pai...:)

ale said...

Pô, fiquei até meio a fim de ver (tava decidida que não iria). E isso que nem li a crítica do Guardian ainda. Vou ler.

Tia Cris said...

"Tyler not mind Hulk thing. Hulk remind her of dad. Steven Tyler. Possibly." (...) "Roth groin area ambiguous. Groin area look lumpy. Bumpy. Perhaps odd penis. Perhaps odd trousers. Critic ... not sure." HAHAHAHAHAHAHA!!!
Cacordo que aquele "leave me alone" destoou do resto, até porque, se bem me lembro, a única coisa que ele fala além disso e do "Hulk...smash!!" é o nome da Betty. E a cena que ele sai pipocando pelos prédios, no final, não combina mesmo com a suposta "massa" da criatura. Mas a-dou-rei, e vou comprar o devedê quando sair. O Hulk é um dos meus preferidos.

E eu queria é um Lou Ferrigno pra mim, hehe.

Tia Cris said...

Ah, e eu adógo a Mulher-Hulk tumém, mas essa vai ser MUITO difícil transformar em versão cinematográfica. :-/

Annix said...

*chorando de rir com o sonho da Anita*

A Gal tem o gosto mais parecido com o meu, e a Cris o mais oposto, hahahaha