July 29, 2008



Vimos "Meu Nome Não é Johnny". Assim, sem saber nada do filme, só que teve bom público no Brasil. É meio longo, mas interessante e bem dirigido. Não perde o ritmo, e as atuações não têm aquele traço teatral detestável - são muito boas, aliás. Selton Mello mostra que comanda. E sim, retratou bem uma época em que la falopa rolava solta, tanto em SP quanto no Rio. E como é uma história real (bem romanceada, porém), tem um fim aceitável. Muito bom, mas não entra pro panteão dos melhores filmes nacionais.

(resumindo : é bom, mas se vc cheirou muito nos anos 80 você vai achar mais legal ainda)

4 comments:

Andréa N. said...

Fiquei curiosa.

Klein said...

Acho que depois de Cidade de Deus e Tropa de Elite a gente ficou com um novo parâmetro do que é filme nacional bom, mas eu considero esses dois exceções porque só aparecem de vez em nunca. Resumindo: achei o filme excelente. Bem amarradinho, questão bem apresentada, etc.

Eu penso que... said...

Eu gostei do filme também, mas como vi em dvd, os extras é que me fizeram gostar mais ainda.
Há uma entrevista com o próprio João Guilherme Estrela e ele narra suas experiências durante as filmagens.
Ele faz uma aparição relâmpago também no filme, como um servente do manicômio.
Se tiver chance assista!
Bjs

Annix said...

klein : putz, meu parâmetro de cinema nacional é Chico Botelho, dos anos 80-90 :) Mas eu amo Tropa de Elite, considero um fenômeno tb.

déia : eu vi nos créditos que o
estrela é o enfermeiro do hospício. Se eu conseguir os extras no brasil eu vejo.