September 28, 2008



Por coincidência, a Lisa e eu baixamos e vimos o mesmo filme na mesma semana, há algum tempo. E, se não me engano, só por causa da Selma Blair, ha. Mas "Purple Violets" é bonitinho e até melhor que muitas comedinhas românticas por aí. Se o Woody Allen fosse mais jovem, bonitão e mais romântico que sarcástico, seria o Edward Burns. Mas o Edward Burns não é o Woody Allen, portanto o filme tem elementos dispensáveis e erros de julgamento - o personagem (mala) do próprio Burns, um personagem inglês (mala) feito por um canadense com um sotaque atroz, a namorada (mala) que teoricamente teria 25 anos, mas parece uma retardada de 35 (opa, não sou eu).

O negócio mesmo é o relacionamento do casal central, o amor que se completa em tantas frentes : a que sobrevive ao tempo, a da admiração mútua, a da separação e crescimento (traduzindo : há casais que se afastam com o tempo, e se separam. E há casais que se separam, mas continuam andando na mesma direção)

Se você gostou de "She's The One" (ou de "Sidewalks of New York"), provavelmente vai curtir este também. E olha, a trilha não é Tom Petty, mas é bacana.

4 comments:

lisa said...

ainda bem que a selma blair é a personagem central, se não teria achado o filme um completo erro. o marido mala com aquele sotaque ninguém merecia. pra que, né? mas o filme é bacana mesmo... acho que a parte mais legal é o treco da admiração mútua, como você falou. respeito etc. essas coisas que, no final, é o que conta.

Gal said...

Mal posso esperar para ver esse filme!

Beijos e namarië

ale said...

Ué, tinha comentado aqui ontem, mas sumiu...
Repito: adoro esse tipo de filminho. Fiquei muito a fim de assistir!

Annix said...

Ué, ale, não vi comentário antes desse não! :(
Acho que vcs vão gostar do filme!