January 21, 2007

Sexta fomos tomar uma cerveja do De Balie e assistir a "Saw III" no Pathé City, ali na Leidseplein. Eu já tinha ouvido falar que algumas pessoas passaram MAL vendo esse filme, e não acho exagero. Torturas inimagináveis psicopáticas e psicológicas, muito sangue, uma neurocirurgia feita à base de furadeira Bosch e serra elétrica...
Ter assistido ao primeiro da série se faz fundamental para se entender os flashbacks e alguns personagens. O segundo já é supérfluo. Mas de qualquer jeito é um puta filme legal para quem gosta do gênero. Não tem um Jason ou um Freddy matando a torto e a direito, mas sim um assassino que prende suas vítimas em situações onde se escolhe entre perder uma parte de si e sobreviver ou morrer de uma vez, com o tempo escorrendo por entre os dedos - o que é o terror psicológico mais eficiente que existe.

Mas uma questão que surge da boca de um dos personagens me faz pensar : passar por uma situação entre a vida e a morte muda uma pessoa? Gostaria de pensar que sim, mas acho que geralmente a resposta é não. Nós, humanos, temos memória curta.

1 comment:

Muié said...

Acho que na maioria dos casos, muda. A minha mudou. Passei a ver a vida de outra forma depois que soube que meu tumor na coluna era benigno. Tipo: "no time to loose". Por aí. Virei uma porraloka que quer tudo ao mesmo tempo agora.