September 30, 2007

E falando ainda de arte, ganhei um super presente da Beth : um livro de postcards do Yoshitomo Nara. Como não é muito provável que eu vá até Den Haag antes que a exposição termine, achei hiper sweet da parte dela me proporcionar uma olhadinha em parte da obra deste japonês muito pop que conheci através do Shonen Knife, uma das minhas bandas favoritas desde sempre.

Passei a tarde de sexta no centro com o Akira. Ficamos umas boas horas no café do Melkweg, certamente um dos melhores lugares perto da Leidseplein pra se tomar uma cerveja : sossegado (de dia, obviamente - de noite é cheio como qualquer outro, principalmente por causa da programação da casa) e com garantia de uma trilha sonora aceitável sempre.

(acreditem, a música de fundo em alguns bares daqui pode ser MUITO ruim. Geralmente, pop holandês. E que recusa a se confinar ao "fundo". Desses a gente passa longe)

(aliás, eu já disse que odeio lugar com música ao vivo? Se eu quiser ver alguém tocando, eu vou a um show, e fico quieta. Num bar geralmente a idéia é conversar, o que se torna inviável quando tem um infeliz tocando violão e cantando Legião no seu ouvido)

Uma semana dormindo seis horas por noite cobraram seu preço hoje. Acabei dormindo à tarde, coisa que eu NUNCA faço. E não foi um cochilinho - quatro horas straight. Definitivamente, meu corpo sabe a diferença entre seis e oito horas.

1 comment:

Arnild said...

Música ao vivo em bar é de última!
Simplesmente detesto. "Vi tanta areia, andei...". É um trauma irreparável:-))
Beijo,
Arnild