December 05, 2007

"Omnia mutantur, omnia fluunt, quod fuimus aut summus, cras non erimus"

(”All things are subject to change, all things flow, tomorrow we will not be what we were yesterday or we are today” - adaptação para prosa de "Metamorfoses" de Ovidio, livro XV)


A primeira vez que vi essa citação, há anos, pensei : é a única verdade absoluta que existe. Tudo muda, impiedosa e impreterivelmente. Vivos ou mortos, estaremos sempre à mercê de um movimento perpétuo, que por vezes se faz perceptível, outras não. A mudança é o nosso mecanismo primário, a vida em si. Átomo, molécula, célula, embrião, órgãos, cinza e átomo. Moto contínuo. E aí entra a minha outra citação preferida : "Omnia mutantur, nihil interit" - tudo muda, nada morre. Deus existindo ou não. E esse processo não é justamente a imortalidade que os antigos atribuíram aos deuses?

E à minha volta, a mudança inexorável se faz presente. Amigos à beira de mudarem de estilo de vida, de estado civil, de profissão, de país, de cidade. Amigos que encontraram um amor, que descobriram falsos amigos, que acharam novos amigos, que estão indo atrás da felicidade, que entenderam porque estão onde estão. Amigos com projetos novos, amigos que viram seus projetos antigos naufragarem. Amigos que mudaram o corte de cabelo, que ouviram bandas novas, viram filmes e leram livros que nunca tinham lido. Amigos que mudaram de idéia, que estão decidindo para onde vão.

Eu fico feliz com esse movimento todo. Estou sempre aberta a mudanças, e se eu tivesse um conselho a dar a todos, seria exatamente isso : embrace change. Mesmo o que parece negativo no começo, tem uma razão no grande mecanismo geral, e é parte da vida. É necessário pra que se ande para a frente (porque pra trás não dá), é fase de jogo. Não temam.

Há três anos, tomei uma decisão que me traria mais mudanças que eu podia imaginar. E aqui estou, pronta pra seguir adiante.

Vamos?

9 comments:

João said...

A eterna mudança, é o yin e o yang se alternando. É o TAO na sua sabedoria. É uma das poucas coisas que as vezes me faz esquecer o niilismo.
Nesta alternância posso dizer que estou numa fase bem baixa.

Beth Blue said...

Muito verdadeiro e muito bem escrito tambem! A vida muda e a gente tem de acompanhar as mudancas, queira ou nao. Porque as mudancas sao uma das maiores certezas nesta vida, tudo muda o tempo todo!

Eu mesma estou comecando de novo (a fenix renascendo das cinzas), depois de muita estrada...e adorando. Mudar e preciso!!!

beijos,
eu sem acento :-)

Cris A. said...

Eu morro de medo de mudar :) Meu cabelo está gigante e eu estou enrolando pra cortar há meses; só pra começar a lista.

Mas o negócio é que quando as coisas mudam realmente eu acabo curtindo; mais pura verdade o que você disse. ;)

Eu penso que... said...

Genial seu post!
"Vivos ou mortos, estaremos sempre à mercê de um movimento perpétuo, que por vezes se faz perceptível, outras não."
Nada a acrescentar.
Bjs.

xris said...

(sonhei que vc tinha feito um review de um show do css da choperia do sesc pompéia e a platéia era toda formada por ex-colegas minhas. e o início do post-review era o mesmo que esse...)

Gal said...

Amei esse post. E, depois de muito buscar uma citação para a minha dissertação, abro o teu blog e vejo essa de Ovídio! Pronto, achei a citação. Muito, muito obrigada!

Beijos e namarië.

Kris said...

Tô indo. Ai.

Bebete Indarte said...

É tudo muda no cosmos, e nós como seres humanos, querendo ou não mudamos.
É a evolução, o desprendimento o renascimento, da larva faz-se a borboleta, as estações do ano e por ai vai.
Gostei muito do post, ando lendo pouco os blogs dos amigos infelizmente, coisas de dezembro, mudança de calendário, sempre tenho uma desculpa.

tu sabe quem said...

Er... tô tentando ir, néam?