February 28, 2007

Uma coisa que nunca consigo deixar de notar, tanto em Paris como em Londres, é a boa educação e cortesia das pessoas. Mesmo com tanta concentração de gente nas ruas, lojas, restaurantes, pontos turísticos e lugares aleatórios, o contato corporal é mínimo, o espaço individual é respeitado, e em caso de uma esbarrada inevitável, imediatamente vem um "pardon" ou um "sorry". E várias vezes, sinceros.

Os senhores elegantes de bigodes brancos que, ao entrar na mesma loja que você, seguram a porta com um sorriso e um "bonjour" para que você passe, ou os que criam espontaneamente um espacinho no balcão do café lotado para que você consiga fazer o seu pedido, ou o moço colocando dinheiro no parquímetro e percebe que vai estar no seu caminho e já se desloca pedindo desculpas, ou o caixa da Boots que propõe voluntariamente passar um cupom de desconto de 2,50 libras que você nem sabia que existia praquele produto na sua cesta (sendo que esse nem é o trabalho dele), ou o varredor de rua por quem você passa e ele olha e deseja "bom dia", ou o atendente do pub que, diante da sua indecisão, tira várias amostras de cervejas diferentes pra você provar e sorri quando você gosta da sugestão dele...todos são apenas alguns exemplos de gentileza autêntica. Nenhum deles ganha nada com isso. Acho que simplesmente te vêem como um fellow human being, um igual que merece consideração. O que seria normal, não?

Aqui na Holanda, pelo jeito não. Juro, parece birra minha, mas não é. Neste um ano e meio em que estou aqui, as DUAS vezes em que alguém pediu desculpas por pisar no meu pé ou por dar um esbarrão e quase ter levado meu ombro embora eu fiquei sem fala. Foi tão inusitado. Ainda bem que meu ombro é bem pregado ao corpo. Fora essas vezes, foi como se eu não estivesse lá. Tenho vontade de sair com um casaco com pregos com pontas pra fora às vezes. Touch me, you die.

Mas é um tipo diferente de educação, imagino. Algumas pessoas são realmente gentis o bastante para cumprimentar quando entram onde você está, ou quando se sentam ao seu lado num teatro ou no trem. E uma vez um senhor ajudou o Akira a colocar o casaco na saída de um espetáculo. Nice guy. Mas geralmente não vejo demonstrações de iniciativas de reaching out for others, nunca vi nenhum dos exemplos que citei acima aqui (fora o nice guy). Não estou dizendo que eu gosto de rapapés e paparicações, mas os modos aqui são meio...camponeses demais. O tipo de cordialidade reservada ao seu colega, às vaquinhas e às galinhas.

Mas o ruim mesmo é o atendimento comercial, justamente aquele que a gente PAGA pra ter. Na maioria das vezes, correto e civil, mas olhando de cima para baixo, como se isso fosse uma obrigação IMENSA. Obrigado, por favor, eet smakkelijk, tudo dito incontáveis vezes, mas sempre automaticamente, como se dizê-lo fará com que você suma da frente deles mais rápido.

Razões? Sei lá. Por eu ser oriental? Bem, com essa cara aqui eu não pareço menos turista na França nem em lugar algum, e mesmo assim o tratamento é outro. Juro, em nenhum outro lugar do mundo vi tanto vendedor achando que está te fazendo um favor imeeeenso em te atender. Além disso, amigos totalmente caucasianos têm histórias até piores aqui. Hm, scratch that. Stress? Hah. Londres é uma das cidades mais busy e movimentadas do mundo, e people actually SMILE over there. Amsterdam tem stress exatamente onde? É uma cidade linda, sem grandes preocupações, e as pessoas deveriam ser felizes. E educadas, pelo menos.
Individualismo extremo? Pode ser. O Francesco, que é antropólogo, disse isso e eu concordo. E o engraçado é que a postura egocêntrica dos habitantes é refletida em escala mundial pelo seu país. A Holanda se dá mais importância do que realmente tem, and it's all about me, me, me. E o engraçado é que no final das contas, eles não gostam que você seja mais educado que eles. Tipo, não gostam de receber o que eles não podem (ou querem) dar. Ou então não gostam de ter suas falhas evidenciadas (o que é verdade).

Enfim, a verdade é essa : tem várias coisas ótimas aqui. Tem gente educada também (mais jovens do que velhos). Mas CUSTA tanto tentar não brincar de carrinho bate-bate nas ruas e pedir desculpas? Isso me deixa doida.

6 comments:

Beth Pinheiro said...

puxa vida, se você acha o pessoal de Londres cordial, precisa viajar mais na Inglaterra, principalmente no norte. Até mesmo os ingleses em geral acham os londrinos o povo mais pedante e sem educação (deve ser o stress das grandes cidades...). eu mesma encontrei pessoas bem mais cordiais e simpáticas em York, Edinburgh, Dublin...

PS. escrevendo assim, quem não me conhece até pensa que não gosto de Londres ou dos ingleses, lêdo engano, hehehe.

muié said...

"em nenhum outro lugar do mundo vi tanto vendedor achando que está te fazendo um favor imeeeenso em te atender"

Então ocê precisa vir ao Rijanêro carqué dia desses...

lisa said...

e este foi mais um episódio de ANNIX em "desmistificando amsterdam".

annix said...

Beth: ué, eu acho o pessoal de Londres cordial mesmo. Na Escócia achei as pessoas muito mais desconfiadas e quietas, pra falar a verdade. Talvez menos contato com turistas. Além disso, que eu tenho a ver com o que os ingleses acham dos londrinos? Eu sei o que EU acho, oras. E sempre fui muitíssimo paparicada lá...

muié, o Rijanêro é ooooutra história. Sobrevivência em primeiro lugar, quem pensa em educação? ;)

lisa, adorei. Aguarde que tem mais, hahahaha.

Anonymous said...

querida, nao eh impresao sua. Os holandeses sao infelizmente grossos e mal educados, pelo menos para os nossos parametros. E nao eh por que a gente eh estrangeiro nao, eles sao assim entre eles tambem, voce ainda nao notou? Acho que eh individualismo exagerado mesmo, misturado a "educacao" (assim entre aspas) camponesa que eles recebem, e a cultura calvinista de "somos todos iguais" (que tem o seu lado bom e o seu lado mau). Olha, eu nao acho que exista paraiso nem inferno na Terra (alias, o planeta inteiro, seria um grande inferno, sem excecoes), a Holanda tem muita coisa boa tambem e voce sabe disso... mas boa educacao, realmente, nao estah no sangue deles. (desculpa ter que ficar usando este "h" ridiculo toda hora, o meu teclado nao tem acento).
Antonio
PS - da proxima vez dah uma paradinha em Bruxelas ok? Aqui o povo eh bem simpatico e educado, he he he...

Bebete Indarte said...

Aqui é sem chance...

A primeira vez q visitei a Holanda em 86, um cara gigante (de terno e gravata), me deu um esbarrão tão grotesco que eu realmente parei pra pensar, porque ele NEM teve a pachorra de se virar e me pedir desculpas, eu era "turista" na época, e qdo vc é turista jovem, só quer ver o "lado bom".

Tanto fez quem eu era, porque moro agora há 10 anos, e a sensação e os acontecimentos, os mesmos, sou invisível.

Esse antropólogo tem razão, o individualismo, mas o calvinismo também, pedir perdão é overbodig (desnecessário), me pergunto como é o povo na Escandinávia? Antigamente vikings.